segunda-feira, 5 de abril de 2010

Ovação aos Quocientes


Eu, que nem tinha o que dizer,
fui tropeçando em vírgulas e sopetões.
Eu, que nem sabia o que escrever,
acabei rolando o carvão na celulose.

Quando dei por mim, havia um discurso pronto,
uma plateia formada, animada... reanimada
pelas vastas  viagens do meu cérebro.

Eu não vi a bailarina girar nos dois sentidos
e também não contabilizei os quocientes,
mas ainda assim houve ovação.