terça-feira, 10 de agosto de 2010

Do erro e da decisão

Será que vou?
Será que peço para ir
ou simplesmente levanto-me e sumo?
Será que me despeço?
Dou festa? Rio? Choro?

Meus olhos ardem,
minha mente desprende a atenção
e a criatividade está prostituída.
Degenero, gasto, ralo, julgo, imito, condiciono
e nada assimilo nestas ações.
Vão relógio que acelera,
carregue-me pelos seus ponteiros
para um final de dia banal.

Um comentário:

  1. Olá! cai de paraquedas por aqui e adorei ler este blog...

    um abraço.

    ResponderExcluir