segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Ela é a Inocência dos Anjos


A lua está laranja
E a noite, nublada.
É aquele final de tarde atrasado do horário de verão.
Ouço, aqui da janela, as crianças a brincar no parque
E os carros passando na sempre agitada avenida onde moro.

Hoje, no dia dos mortos, mostrei à minha avó
A poesia que fiz para ela.
Ela não conseguiu ler até o final
porque os olhos, já comprometidos pelo derrame,
encheram-se de lágrima e nublaram sua leitura emocionada.

Li-a, então em voz alta.
Foi nostálgico e bonito o momento.

Ótima forma de finalizar um final de semana tão comprido como este.
As crianças já não brincam no parque,
A noite instaurou-se de vez.