terça-feira, 31 de março de 2009

Roda Gigante

Acredito que a sorte e o azar da vida vêm como em uma roda gigante. Quando surge um problema, parece que irritantemente ele carrega consigo outros tantos piores ou maiores e a gente se vê quase que em desespero quando conclui que nada que fazemos sai certo.

De uns meses pra cá, o meu azar estava chegando ao alto da ciranda, em paralelo com o meu esgotamento, mas felizmente e inevitavelmnte chegou ao cume e passou a traçar o trajeto de descida. A suavidade voltou a se instalar na minha rotina e meu sossego retornou.

Pois enganado é aquele a pensar que só há proveito nas belas paisagens. Infortúnios e calos garantem um paladar mais apurado para os dias de sorte que se intercalam entre os nossos azares como dádivas da nossa própria vontade.

É por esse belo pensamento concebido agora que levanto um brinde à roda da vida.