quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Uma reclamação avistada...

A manhã desta quarta-feira foi surpreendente! Incentivada pela publicação do post anterior, a COMGÁS entrou em contato comigo para dar um retorno sobre a reclamação. A surpresa foi que o meu e-mail não chegou à companhia (mais uma vez) e apenas graças à divulgação do caso aqui no blog, é que recebi atenção, embora muito abaixo das minhas expectativas.


Nada foi resolvido mas, de certa forma, fiquei feliz por ter sido visitada justamente por alguém que o atendente de hoje me informou ser um cliente da COMGÁS. Estranho...

Me colocando no lugar deste solícito cliente, eu não entraria em contato com a empresa reclamada para avisá-lo: “olha, tem gente reclamando de vocês”. Mas, bem... Há tipos e tipos de gente. Então, não vou julgar alguém que até me ajudou a receber a atenção que pedi.

A pauta é a COMGÁS, mas evidentemente deve haver muitos que concordam comigo de que em geral, o atendimento ao cliente via telefone por empresas públicas ou privadas quase nunca nos oferece integralmente o que precisamos ou pedimos. Em vista desta nova lei de Call Center, parece que pouco ou nada mudou na qualidade do serviço.


Eu já trabalhei por quase 4 anos em atendimento telefônico e sei como é difícil atender as expectativas de um cliente ansioso, que não vê o rosto de quem o está atendendo, ainda mais com a pouca autonomia que tem o operador. No meu caso, pior: o prazo havia sido expirado e eu estava brava, muito brava. Mas sei que isso não é escusa para falha na prestação do serviço.


Sinto-me lesada e espero que a novela COMGÁS seja benéfica para mim e para os futuros clientes desta empresa que monopoliza o mercado paulistano de distribuição de gás. A angústia de não ter opções de consumo também é um agravante!


Fica o exemplo de que a blogosfera nos conecta amplamente, nos mais diversos aspectos.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Reclamação Comgás

Desde o dia 9 de fevereiro eu estava tentando transferir a titularidade do referido endereço para meu nome. Depois de muitas tentativas via fax e via e-mail, com todos os prazos (que vocês informam de 24 horas "úteis") expirados, eu finalmente consegui a transferência. Quero salientar o fato da impossibilidade de enviar o fax do contrato. Depois de 8 (oito!) e-mails enviados do contrato EM JPEG, eu recebi seu retorno via e-mail. No sábado, eu entrei em contato novamente com a Comgás, sob o chamado 81833111, no qual fui informada pela atendente que a Comgás NÃO PRECISARIA vir até a minha casa para fazer qualquer tipo de instalação, já que o gás estava ligado na residência. Quem deveria fazer isto, segundo a atendente, seria a Brastemp. Hoje, para minha surpresa, o técnico da Brastemp me informou que a Comgás, sim, deveria ter vindo à minha casa para instalar o cano gratuitamente. A Brastemp faria apenas a conversão de butijão para gás de rua. Por consequência desta informação errada da atendente, tive de pagar R$ 75,00 para o técnico instalar este cano. Ora, eu preferi ter o prejuízo financeiro a ter de ligar novamente para o seu atendimento telefônico, que em nada me atendeu durante toda a semana que tentei manter contato. As informações são evasivas, não esclarecedoras e muitas vezes até incorretas. Não peço ressarcimento, esclarecimento, ajuda nem nada. Quero apenas deixar registrada a minha completa insatisfação com esta empresa que, irritantemente, não tem concorrente no mercado e me deixa refém de um péssimo e incompetente atendimento.