quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

eles leem histórias do semiárido

Eu tive uma ideia! Antes de ir à farmácia comprar uma injeção anti-inflamatória para o meu vizinho antissocial, vou ao mercado comprar linguiça acriana para o meu marido. Depois, preciso que minha filha me ajude e enxágue cinquenta peças de roupa que estão de molho no tanque. E ainda preciso tirar pelo pelo menos do sofá e dos tapetes. De tanto aguentar essa rotina doida, ando tendo muito enjoo e estou constantemente na paranoia. A lavoura e o gado dão um trabalho! E ainda vem meu marido, que desce da boleia do seu caminhão com a motosserra na mão. É para o conserto, diz. Mais uma dor de cabeça para o meu heroico amado. De repente, ele para para ver a linguiça que eu comprei e esquece imediatamente os problemas, me dando um bom abraço. Bem que ele merece um jantar especial!

Ao novo acordo ortográfico, um salve.

Um comentário:

  1. O texto é muito bom, mas é muito doído pra mim ler isso. Sou contra a reforma e sempre serei! Sou anti-social!! Hehehehe!!

    ResponderExcluir