sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

O retorno

Após férias, festas e reflexões parece que a normalidade retoma a rotina branda dos dias.
Menos férias e festas, mais reflexões...
Hoje me botei a pensar... Se cada pessoa tivesse, no momento de sua morte, a escolha de viver novamente toda a sua vida... Que será que ela iria escolher? Será que, ao escolher reviver tudo, (sem lembrança, claro) faria tudo igual? Será que erraria, aprenderia e se arrependeria da mesma forma?

Qual o conhecimento adquirido em cada escolha?

Pensar em tudo isso é bem confuso. Esta fase da minha vida é um separador de águas... Tenho acordado para viver o dia pensando que poderia vivê-lo depois novamente, com prazer e alegria.
Quero provar novamente o sabor do amor, da coragem, da força, da paciência... De forma intensamente igual... Para saber que antes o que eu chamava de
amor, coragem, força e paciência tinha outro sentido, outro parâmetro.

Não que fosse ruim... Só era diferente...