terça-feira, 22 de abril de 2008

Do tempo

Quero ficar no teu corpo feito tatuagem
Que é pra te dar coragem
Pra seguir viagem
Quando a noite vem
(Tatuagem - Chico Buarque)




Dos dias que sigo em diversão longe dos seus olhos e da sua respiração,
admito lá estar apenas o meu corpo presente,
e que
minha mente permanece entregue a refazer em imagem cada detalhe do seu rosto,
sem que nenhum se deixe escapar.


Das horas que passam,
pouco aproveito senão nos momentos inebriantes
que me reservo a pensar em você
com o mesmo apuro dos apaixonados.

Dos minutos que insistem em correr devagar,
facilmente desprendo uma lágrima em honra à sua ausência
e lamento, sussurrando algo inaudível e óbvio,
ao meu pensamento, já tão consumido por sua lembrança.

Ora! que exagero este o meu, de tornar tão melancólica a espera!
que loucura pensar no amor irritantemente dependente do retorno,
como se não tivesse ar, e se consumisse em agonia a cada suspiro...

Pois se é exatamente deste exagero e desta loucura, que não consigo me livrar,
que nasceram estas palavras embriagadas,
nada mais me cabe acrescentar.

Um comentário:

  1. nossa!
    muito bonito..
    palavras tocantes frase a frase!
    parabens Fernanda!
    bjO

    ResponderExcluir